domingo, 6 de agosto de 2017

THE HULK 20(M.C.)-ABRIL DE 1980

Oferecemos aqui mais uma edição da The Hulk traduzida pelo Leyria. Como sempre, o roteiro bem estruturado de Doug Moench torna as duas histórias da revista muito interessantes. Na primeira, "Poder Sem Controle", Bruce Banner se infiltra em uma usina nuclear onde um acidente ameaça todo o norte do Estado de Nova York. O vazamento é sério e nenhum ser humano comum pode entrar na sala do reator danificado para providenciar um conserto. Sobrou para o nosso amigo Gigante Verde. Arte de Ron Wilson e Alfredo Alcala. Na segunda, "Amanhecer Distante", acompanhamos o Cavaleiro da Lua pelas ruas de Nova York aguardando com muita angústia a recuperação de Marlene, atacada pelo Homem do Machado na edição 17. Arte de Bill Sienkiewicz. Esta é a última história do Cavaleiro na The Hulk (na edição seguinte, ele é substituído por Dominic Fortune). E a edição tem dois ótimos artigos: uma entrevista com Kenneth Johnson, produtor da série de TV, e uma lista das mulheres da vida do Hulk, além é claro da seção de cartas, onde continua a guerra "Hulk dos anos 60 X Hulk da TV".

Tradução e Diagramação:Leyria

Restauração:Flávio

THK20





6 comentários:

  1. Parabéns, irmãos!!! Este ano está sensacional de "The Hulk", hein???

    ResponderExcluir
  2. Isso mesmo, Aquiles! Até o final do ano ainda vão aparecer mais umas edições da The Hulk! Quando eu era garoto, consegui comprar umas dez revistas. Depois de tantos anos, nunca havia as lido, pois achava que não conseguiria traduzi-las. Agora, na era dos blogs de scans é que estamos lendo estas raridades! E vai chegar o momento em que vamos ler as 27 edições, pode ter certeza! Abraço! E valeu, Flavião!

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigado por mais esta edição! Leitura de primeira, do tempo em que a Marvel sabia trabalhar com seus personagens. Poderiam, por favor, reupar os números 10 e 12, cujos links expiraram? Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo excelente trabalho. Só um adendo - Leyria, diminua um pouco o uso dos pronomes, penso que o texto ficaria mais enxuto. No mais, parece que viajei ao passado lendo essa preciosidade.

    ResponderExcluir